Casulo Cultura

A Casulo Cultura atua na área de projetos culturais e eventos, desde a concepção à execução, passando pela produção, direção artística e gestão de projetos. Com uma visão diferenciada e ousada da produção cultural contemporânea, a Casulo é focada em ações conceituais que estimulem a cena e promovam o intercâmbio de informações, priorizando a troca de experiências, a formação de público e a criação de um circuito artístico sustentável.

Trajetória
A Casulo Cultura é liderada por Danusa Carvalho, experiente produtora com mais de 20 anos de atuação no desenvolvimento de projetos em diversos setores. Especialista em produção executiva, marketing, agenciamento de artistas e coordenação de projetos e eventos, Danusa trabalhou com grandes nomes da cultura brasileira, entre eles Farofa Carioca, Seu Jorge, Cássia Eller e Kátia Lund.

No Rio de Janeiro, onde viveu e atuou durante as últimas décadas, participou de importantes festivais, produziu vídeo-clipes e turnês de artistas pelo Brasil e no exterior e coordenou a produção de eventos para grandes empresas.
Em Belo Horizonte, onde atua desde 2006, desenvolve e executa os projetos Stereoteca, Claro Minas Instrumental, Do Morro ao Asfalto, Mapeamento da música em Minas, Seminário Prática da música, Coletânea Brasileiríssima, Festival de Cinema Imagens Da Cultura Popular e as carreiras solo da sambista Aline Calixto e do rapper Renegado, além de trazer à cidade shows individuais de Marcelo D2, Nação Zumbi, Seu Jorge, Mombojó, Mundo Livre, Orquestra Manguefônica, entre outros.

Artistas
Do samba ao hip hop, passando pela música popular contemporânea, a Casulo mantém relação direta com promissores artistas de Minas Gerais e do rio de Janeiro , auxiliando-os no desenvolvimento de suas carreiras e na busca por boas oportunidades de mostrar seus trabalhos.

Aline Calixto

A jovem Aline Calixto vem se destacando no cenário de samba nacional e chamado atenção do público e de importantes profissionais da crítica, pela qual é considerada uma das principais promessas da nova geração. Após uma bem-sucedida trajetória no cenário independente, a artista lança seu álbum de estréia, "Aline Calixto", pela gravadora Warner Music.

Carioca de nascimento, porém criada em Minas Gerais, Aline venceu diversos prêmios, entre eles o concurso "Novos Bambas do Velho Samba" edição 2008, realizado pela tradicional casa Carioca da Gema, e participou do carnaval carioca. Também marcou presença em diversas rodas de samba cantando ao lado de bambas da velha guarda como Monarco, Nelson Sargento, Walter Alfaiate, Wilson Moreira, Martinho da Vila, Luiz Carlos da Vila e de novos talentos como Edu Krieger, Renegado, Rogê, Mart..nália.

O CD de estreia chega nas lojas dia 25 de junho, com 12 canções inéditas e uma releitura da obra do mestre Monarco e seu filho Mauro Diniz. Aqui, em primeira mão, você poderá conferir a música de trabalho "Tudo que sou", de Toninho Gerais e Toninho Nascimento.

Artistas e jornalistas de peso que tiveram a oportunidade de conferir sua performance, como Monarco e César Tartaglia, comentaram:

"A revelação e a unanimidade do concurso do Carioca da Gema, a mineira Aline Calixto, que veio com um samba diferente de levada mineira. Para mim, Aline é a melhor cantora da atualidade. Ela é minha aposta" (João Pimentel – Jornal O Globo)

"Aline é uma grande cantora. Faz o samba com cadência!" (Monarco)

"Na minha concepção Aline está pronta pra brilhar. Tem presença de palco, é afinadíssima, além de ser uma criatura que esbanja alegria. Ela está preparada para o sucesso" (Walter Alfaiate)

"Não tenho dúvidas de que ela logo estará no primeiro time da MPB" (César Tartaglia – Jornal O Globo)

"Fiquei feliz, olhando, notei o olhar determinado da Aline cantando Sereia Guiomar, um samba de roda que pede o corpo girando, a boca com notas bem abertas e os olhos adiante buscando um marinheiro que se encante à essa voz. Fiquei feliz, sim. Está nascendo uma artista que veio pra marcar seu chão. Ou seu mar, o de sereia" (Moacyr Luz)

"Aline Calixto é a revelação do samba mineiro" (Eduardo Tristão Girão – Jornal Estado de Minas)


Renegado
Apesar de identificar-se mais com o rap, a música de Flávio Lorenço de Abreu, mais conhecido como Renegado, é abrangente e busca inspiração em ritmos brasileiros e latinos, como o samba, maracatu e a bossa nova. Suas letras politizadas e de cunho social estão entre as mais elogiadas do Estado de Minas Gerais e são destaque em seu primeiro álbum, "Do Oiapoque a Nova York", cujo lançamento é previsto para o primeiro semestre de 2008.

A trajetória de Renegado também é marcada pelo trabalho social realizado em sua comunidade (Alto Vera Cruz, em Belo Horizonte), onde desde 1997 lidera o grupo Negros da Unidade Consciente (NUC), trabalhando pela conscientização de jovens de comunidades carentes da capital. Formado como educador social, Renegado e sua banda já se apresentaram em importantes festivais brasileiros, como o Hutúz, no Rio de janeiro, e também no exterior, com shows em Cuba e na Venezuela.



Projetos
Ações conceituais e diferenciadas são o foco da Casulo, que desenvolve projetos concisos e de cunho integrador, aproximando e incentivando a interação entre artistas, público e patrocinadores.

Stereoteca
Provocando "encontros inéditos, fusões inusitadas e parcerias instantâneas", as edições do Stereoteca reúnem artistas mineiros de diferentes gêneros e gerações no teatro da Biblioteca Pública Luiz de Bessa, em Belo Horizonte, e contam com programações que se estendem por vários meses do ano.


O objetivo é ampliar o alcance da música mineira, contribuindo para o amadurecimento do setor cultural no Estado e na formação de público. O projeto também se desdobra na internet, onde músicas e informações sobre os artistas são disponibilizadas no site oficial, www.stereoteca.com.br.


Minas Instrumental
A primeira edição do projeto Minas Instrumental, realizada ao longo de cinco meses em 2007, reuniu 19 artistas de diferentes vertentes da música instrumental para apresentações gratuitas em espaços abertos de Belo Horizonte.

Realizado sempre às terças-feiras, como uma alternativa interessante e diferenciada na agenda cultural da cidade, o Claro Minas Instrumental tem como objetivo a ampliação do alcance da música instrumental e da experimentação de linguagem.




Do Morro ao Asfalto
O projeto é claro em sua proposta: estimular a troca de experiências entre a favela e a cidade, levar o samba novamente ao morro. Derrubando barreiras sociais e étnicas, unindo pessoas pela paixão pela música, Do Morro ao Asfalto contou com a realização de rodas de samba em três grandes aglomerados de Belo Horizonte, juntando quase 20 artistas mineiros.

Além dos shows, realizados em locais públicos, exposições fotográficas, exibição de documentário e feira de artesanato completaram a programação dos três dias de evento, de setembro a novembro de 2007, continuando com mais dois eventos no segundo semestre de 2008.


Mapeamento da Música
Idealizado por Danusa Carvalho, diretora da Casulo Cultura, o mapeamento da cadeia produtiva da música em Minas Gerais irá reunir informações sobre artistas, produtores e demais elementos que constituem a cultura musical do estado, resultando em uma importante fonte de informação sobre a produção mineira. O projeto será executado pela Fundação João Pinheiro junto a profissionais do Sebrae.


Prestação de serviços

Produção executiva

Coletânea Brasileiríssima - Música de Minas no Ar
A Casulo Cultura realizou esta coletânea especial, produzida para comemorar os 30 anos da Brasileiríssima FM. Composta de 7 CDs com os mais relevantes artistas mineiros da atualidade, abrangendo diferentes estilos musicais, buscando uma representação efetiva da diversidade da música criada em Minas Gerais, a coletânea inclui mais de 100 artistas.

Festival Favela É Isso Aí - Imagens da Cultura Popular
Realizado em parceria com a ONG Favela É Isso Aí, o festival de cinema Imagens da Cultura Popular conta com produção executiva da Casulo Cultura.

O festival Imagens da Cultura Popular tem como objetivo principal apoiar e divulgar a produção audiovisual que volta seu olhar para a cultura popular urbana, com particular destaque para as comunidades de vilas e favelas de Belo Horizonte e das comunidades periféricas do interior de Minas Gerais. Pretende também desenvolver uma reflexão sobre a diversidade cultural das periferias, de Minas e do Brasil, promovendo intercâmbio com outras iniciativas semelhantes em desenvolvimento no restante do país.


Gestão de projetos

Kiko Klaus
Pernambucano que vive em Belo Horizonte desde 2002, Kiko Klaus possui longa trajetória no Brasil, Estados e Europa atuando como músico, cantor, compositor, engenheiro de som e produtor musical. Kiko transita por diferentes gêneros, como a MPB, o maracatu e o samba, associando-os a elementos da cultura mundial contemporânea, alcançando um resultado singular e instigante.

Autor de premiadas trilhas sonoras para espetáculos de dança contemporânea, Kiko lançou em 2008 seu primeiro CD solo, O Vivido e o Inventado.

Cléber Alves
A sonoridade lírica e a criatividade melódica de Cléber Alves se encontram na mistura de jazz com MPB que o saxofonista, compositor e arranjador mostra em seus shows. Foi aluno dos saxofonistas Nivaldo Ornelas e Paulo Moura. Com uma carreira de grande prestígio no meio musical nacional, Alves também morou por dez anos na Alemanha, onde fez graduação e mestrado em Jazz e Música Popular na Universidade de Música de Stuttgart . Na Alemanha, tocou em festivais de jazz onde participaram músicos como Bobby McFerrin, Lionel Hampton, Chucho Valdés, Ralph Towner, John Taylor e Jerry Bergonzi, entre outros.

Desde que voltou para Belo Horizonte, em 1998, se apresenta e grava como compositor e instrumentista ao lado de músicos como Toninho Horta, Ed Mota, Maria Rita Mariano, Yamandú, Chico Amaral, Hamilton de Yolanda e outros.
Alves atua também como Pesquisador e Professor da UFMG e Professor da Universidade Bituca em Barbacena.


Iniciativas
Democratizar o acesso à cultura e estimular reflexões sobre a arte são pontos cruciais nas iniciativas desenvolvidas pela Casulo.

Stereocubo
Desenvolvido pela Casulo em parceria com o Instituto Cultural Espaço Cubo, de Cuiabá, o Stereocubo reuniu jornalistas, produtores, músicos, representantes de iniciativas públicas e privadas para discutirem junto ao público alternativas para o amadurecimento e o desenvolvimento sustentável do setor cultural.

Com o envolvimento de profissionais renomados na área da cultura, os debates estimularam o surgimento de novas e interessantes ações em Belo Horizonte e incitaram o público a repensar suas relações com o meio cultural.

Stereomundo
O ciclo de debates Stereomundo, parceria entre a Casulo e o site colaborativo Overmundo, mobilizou profissionais de diferentes áreas para discutir temas relacionados à cultura, como a produção colaborativa na internet e o jornalismo cultural.

Abordando a cultura como um meio de potenciais transformações na sociedade, o Stereomundo contou com a participação de jornalistas de grandes veículos, músicos e membros de ONG´s. Os debates tiveram entrada gratuita e incentivaram a troca de conhecimento e informação, reiterando que cultura trata-se muito mais do que simples entretenimento, possuindo um enorme valor social.

1º Seminário Prático da Música
O Seminário reúne importantes profissionais do mercado musical, do Brasil e do exterior, para discutir junto ao público temas relacionados ao mercado musical, música independente e estratégias de atuação.

O projeto possui formato inovador e propõe que ao final dos debates (sobre os temas Produção Executiva, Produção Artística, Comunicação e Distribuição & Negócios) os participantes escolham através de votação no site do Stereoteca um convidado que, durante três meses, prestará uma consultoria virtual a artistas e produtores mineiros. Ao fim deste período os participantes apresentam um produto final, fruto do trabalho criado ou modificado a partir da orientação do consultor.

Parceiros

Usina das Letras
Miguilim assessoria
Fórum da Música de Minas Gerais
Festival Jambolada
Vozes de Mestre
Claro
Contato
Telefone: (31) 3222.3242
Email: contatoARROBAcasulocultura.com.br

Equipe
Danusa Carvalho, Tomás Dias, André Ernest, Marcelo Santiago